Vigo literário

Descobre Vigo nos livros de grandes escritores

Casos seja fã de leitura, uma boa proposta será fazer turismo literário em Vigo. Protagonista de livros únicos, Vigo está presente nas palavras de alguns dos escritores mais relevantes da Galiza, de Espanha e do mundo. Desde Júlio Verne aos últimos bestsellers de Domingo Villar, traduzidos em vários idiomas, passando por Otero Pedrayo a Álvaro Cunqueiro, Vigo tem sido um cenário literário de intrigas, de lendas de piratas e de aventuras policiais.

Pode aproveitar a sua visita à cidade para levar consigo um destes grandes livros que falam de Vigo, essas jóias da literatura de viagem, ou tendo como cenário a cidade, e aí procurar as referências literárias durante os seus passeios.

O escritor que mais universalizou Vigo foi o francês Júlio Verne (Nantes, 1828 – Amiens, 1905), que aqui situou uma passagem de uma das suas obras mais famosas, 20.000 Léguas Submarinas. No romance de Verne, a ria de Vigo escondia tesouros riquíssimos procedentes do tesouro de Rande:

"Então, senhor Aronnax (...), estamos nessa mesma baía de Vigo. Só lhe compete a si desvendar-lhe os mistérios."

"A areia estava juncada desses tesouros. Depois, carregados com aqueles preciosos saques, aqueles homens regressavam ao Nautilus, depositavam os seus fardos, e retomavam aquela inesgotável pesca de ouro e de prata."

A partir da Galiza, Ramón Otero Pedrayo (Ourense, 1888-1976) foi uma das figuras mais destacadas da história da cultura galega e membro relevante da Xeración Nós, também tinha a sua visão:

“A Ria de Vigo, sem se articular numa profusão de seios e vales afluentes como o de Arosa, oferece um cenário de beleza acrescida pelo seu duplo óvalo: o próprio de Vigo e de Redondela.”

Eduardo Blanco Amor (Ourense 1897-Vigo 1979), é um dos escritores galegos mais queridos, descrevia assim a cidade:

Vigo coloca os colares de luzes das suas avenidas paralelas ao mar. De uma só vez, a nossa memória faz rapidamente o inventário de tudo. Ao fundo, a enseada do Arenal e o Monte da Guía, com a sua capela branca. Em frente à cidade, sob a fortaleza do Castro, apenas desenhada pelas últimas luzes de um crepúsculo de água-forte.”

O incomparável Álvaro Cunqueiro, (Mondoñedo, 1911 - Vigo, 1981), cuja obra abarca todos os géneros, desde a poesia aos livros de cozinha, passando pela narração e o drama, captou como ninguém o caráter empreendedor de Vigo:

Uma cidade é mitologia —ou seja, no extremo, espírito— e geografia, metade e metade. As cidades apressam-se um dia, param ou retrocedem noutro. Em algumas, como em Vigo, parece que se acumulou repentinamente grande quantidade de seiva e brotam na cidade grandes e poderosos ramos.”

Todos estes autores falam de Vigo na sua maioria em livros editados também em Vigo. Porque esta cidade é a capital editorial da Galiza, onde têm sede grande parte das empresas deste sector.

O que espera para entrar no Vigo literário e escrever as suas próprias páginas? 

Dicas e recomendações: 

Vigo celebra a sua Feira do Livro, que acumula já quatro décadas de história, em finais de junho e princípios de julho, na Praça de Compostela. E na continuação, em finais de julho, o mesmo lugar acolhe a Feira do Livro Antigo e de Ocasião. Não deixe de as visitar se estiver por Vigo nestas datas.

Galeria de Imagens: 
Turismo de Vigo
Turismo de Vigo

Informação prática

  • Ferias del libro en Vigo
  • Pza. de Compostela
  • Telefone: 
    010 (Servicio de Atención Ciudadana)